Passeie entre paredões de gelo

Passeie entre paredões de gelo

Preparamos cinco dicas para você curtir esse feriadão.

4- Passeie entre paredões de gelo

Se um inverno inteiro para você foi pouco, o modo de se despedir em grande estilo da temporada mais fria do ano pode ser atravessar a Tateyama Kurobe Alpine Route, entre as províncias de Nagano e Toyama. Conhecida como o “teto do Japão”, a rota pelas montanhas é espetacular em vistas e só abre após o fim do inverno mais rigoroso. Mas isso não quer dizer que vá faltar neve. Pelo menos no começo da temporada — que este ano vai ser no dia 15 de abril —, a principal atração é o paredão de neve que se forma numa das partes da rota. O caminho inteiro, se feito de uma tacada só, pode ser feito em até 8 horas. Toda a rota é equipada com diferentes tipos de transporte público e não pode ser feita com carro particular. Quem começa em Tateyama (475 m), do lado de Toyama, sobe num funicular até Bijodaira (977 m). Funiculares são trens usados para subir encostas, puxados ou sustentados por dois cabos. (Por isso, eles são chamados em inglês de ‘cable cars’.) O trajeto é curto e é possível fazer um curto passeio na área antes de seguir no próximo meio de transporte. Em seguida, um ônibus leva até Murodo, já a 2450 metros de altitude. O trajeto de 23 quilômetros é feito em 50 minutos, entre as curvas da montanha. É no trajeto desse ônibus que fica o ponto alto da rota neste início de temporada: uma rota aberta no meio da neve que, na região, pode chegar a acumular cerca de 20 metros. Como o inverno de 2019 não foi tão rigoroso, a parede pode estar menor em comparação a temporadas anteriores. No entanto, o passeio ainda assim promete ser emocionante. Outro ponto de destaque em Murodo é o Mikurigaike, um lago formado na caldeira do Monte Tateyama, que é um vulcão. Na tradição da região, os moradores cozinhavam para os deuses que habitam a montanha com as águas deste lago. Até junho, o lago costuma estar coberto de neve. Porém, como o frio deste ano foi mais fraquinho, quem sabe você tem a sorte de ver o topo da montanha refletido nas águas cor de cobalto do Mikurigaike. Ainda assim, se o frio tiver grande, pode ser a hora de entrar num banho de águas termais. O Mikurigaike Onsen é a fonte termal mais alta do Japão. Aproveite. O próximo passo é embarcar numa das duas únicas linhas de trólebus do Japão. Trólebus são ônibus movidos a eletricidade, conectados à força através de uma catenária. Na Alpine Route, os veículos circulam dentro de um túnel que leva até Daikanbo, uma área a 2316 metros de altitude. A duração da viagem é de 10 minutos. Em seguida, é hora de embarcar num teleférico que leva até Kurobedaira, a 1828 metros de altitude e num funicular que vai até Kurobeko, a 1455 metros. Neste ponto, é possível observar a Usina Hidrelétrica de Kurobe, cuja barragem, com seus 186 metros, é a mais alta do Japão dentre as que tem formato arqueado. No local, há também um restaurante que serve um curry com arroz servido no formato da barragem. Para atravessar o paredão formado pelo Monte Akazawa, é hora de embarcar na outra única linha de trólebus do Japão, que leva até Ogizawa, já na província de Nagano. Daqui, um ônibus leva até a estação de Shinano Omachi, que é a porta de saída da rota. Mas, se você não tem pressa, dê uma paradinha no Omachi Onsenkyo, uma estância de águas termais com banhos que, além da água quentinha, têm vista para os Alpes. Além disso, o local tem um museu das águas termais da região e outro dedicado ao ukiyo-e, um tipo de xilogravura muito popular no Japão entre os séculos 17 e 19. Um fim artístico para a sua rota.

Confira também