Aproveite o feriado mais esperado do ano!

Aproveite o feriado mais esperado do ano!

Sim, o feriado mais esperado do ano está chegando. E, em 2019, ele vem turbinado! Por conta da abdicação do Imperador Akihito, a Golden Week terá 10 dias, um recorde. Sabemos todos que, no Japão, férias remuneradas de 30 dias como as do Brasil não são nada mais que um sonho, literalmente, distante. Mas ninguém é de ferro e todo trabalhador precisa descansar. E esse é um dos benefícios dos feriadões prolongados do Japão, como a Golden Week. Tudo começou em 1948 com a promulgação da Lei Nacional de Feriados. A partir daquele ano, um grande número de dias parados acabou se concentrando entre o final do mês de abril e o início do mês de maio. Isso gerou um aumento repentino nas receitas do setor de lazer e entretenimento. As empresas do ramo, ainda se recuperando do arrasto causado pela guerra, passaram a dar atenção especial à época. No ano de 1951, os estúdios cinematográficos Daiei e Shochiku investiram pesado, cada um na sua versão para a telona do bem-sucedido romance Jiyu Gakko do novelista Bunroku Shishi. No melhor estilo que vença o melhor, os rivais arriscaram todas as fichas lançando os dois filmes na mesma data: 5 de maio. O resultado foi surpreendente. Ambas as películas fizeram um enorme sucesso. A Daiei levou a melhor sobre a rival e ainda fez a melhor bilheteria de sua história até então. De lambuja, seu executivo ainda entrou para a história. Reconhecendo o potencial de vendas do feriadão, Hideo Matsuyama tomou emprestada a expressão “golden time”, usada pelo rádio para definir o horário nobre, ou seja, o de maior arrecadação de sua programação e criou “Golden Week” para definir o feriadão de maio como a época de maior potencial de venda de ingressos no cinema. A expressão colou e até hoje é usada para definir os dias em que, literalmente, as máquinas param no Japão. No entanto, se as fábricas dão um tempo na produção, trens, ônibus e outros transportes públicos ficam mais cheios que nunca. Pelo menos os que levam para o interior. Cenas de trens-balas Shinkansen tão lotados quanto as linhas de metrô de Tóquio e de aeroportos que não ficam devendo em nada à estação de Shinjuku na hora do rush são a regra. Por isso, quem pretende viajar na época precisa se preparar logo para não ficar na mão. Bilhetes aéreos desaparecem mesmo com os preços, sem trocadilhos, lá nas alturas. Tíquetes de ônibus de longa distância também viram fumaça. Nos primeiros e últimos dias do feriado, os engarrafamentos imperam nas rodovias expressas. Parece o caos! Ainda assim, é possível se divertir na Golden Week e, se você deixou o planejamento para a última hora, não se desespere. O GUIA JP te deixa cinco dicas para você curtir de monte esse feriadão. Sim, seja realista. Não ache que vai encontrar facilmente uma passagem para Bali ou para o Havaí agora. Mas não deixe de aproveitar o tempo para fazer algo diferente. Afinal, quando será que você vai ter de novo 10 dias seguidos de folga?

1- Curta Tóquio

Quem mora em Tóquio não tem dúvidas: a Golden Week é a melhor época do ano para curtir a própria cidade. Enquanto boa parte da galera aproveita o feriadão fora da megalópole, os gatos pingados que não viajaram ficam com Tóquio todinha para eles. Não é pouca coisa! Com o número de turistas cada vez mais alto, as já indefectíveis filas para qualquer coisa só têm aumentado de tamanho. Até o momento, a Golden Week tem sido uma época de exceção. Mas, veja bem, não crie expectativas. Não espere ver em Tóquio um cenário de Blade Runner. Porém, vai ser bem mais tranquilo navegar pela megalópole, ser mais fácil encontrar vagas em restaurantes badalados (desde que eles estejam abertos) e encontrar menos tumulto para visitar parques, eventos e exposições. Falando em eventos, um que os heróis brasileiros da resistência na região não costumam perder é Niku Fes de Odaiba. “Niku” é carne em japonês e, não, não se trata de um carnaval fora de época. É um evento gastronômico, com diversos expositores oferecendo (não de graça, é claro) pratos de diversos países do mundo com a carne como ingrediente principal. Em anos anteriores, rolou também uma Oktoberfest a poucas dezenas de metros do Niku Fes e pode ser que a coincidência de eventos aconteça de novo em 2019. Aí, não tem jeito: cerveja e carne no mesmo local está para nós como o queijo para os ratos. Santa armadilha! Agora, se você não está afim de enfiar o pé na jaca no feriadão — e estiver com disposição a ir além da área dos 23 Distritos Especiais da Metrópole —, pegue um trem até Fuchu, que fica a cerca de 20 minutos de Shinjuku. A cidade é o lar do Santuário Okunitama, cuja história remonta ao ano de 111, quando foi fundado pelo Imperador Keiko. Entre os dias 30 de abril e 6 de maio, o santuário realiza o Kurayami Matsuri, algo como “o festival da escuridão”. O nome curioso tem a ver com a história do evento que, no passado, era realizado à noite. Na completa ausência de luz, os humanos não poderiam ver o sagrado movimento de passagem dos espíritos do santuário para os mikoshi, os andores usados nos festivais japoneses. Quatro e cinco de maio são os dias mais agitados do festival. No Manto Taikai, que rola no dia 4, participantes de diversos bairros da cidade aparecem carregando uma alegoria formada por dezenas de lanternas coloridas. A mais bonita do ano é premiada e os envolvidos capricham na performance. Começa às 12:30. Já no final da tarde, tambores tradicionais gigantes vão à frente do templo e seu toque ressoa por toda a cidade. Em seguida, os dashi (carros adornados) passeiam pelo bairro com suas lanternas acesas. No dia 5, é a vez dos mikoshi passearem pelo bairro, precedidos por seis tambores gigantes que abrem os caminhos, fazendo a purificação da rua para a passagem dos santuários portáteis. A partir das seis da tarde, os andores adornados com lanternas iluminam a cidade com os espíritos trazendo suas bênçãos para os moradores locais.