Top 10 Hatsumōde

Top 10 Hatsumōde

Top 10 Hatsumōde

O GUIA JP fez uma seleção com os lugares mais populares do Japão para o hatsumode. Confira!

 

Meiji Jingu – 明治神宮

O santuário dedicado ao imperador Meiji, em Tóquio, tem sido o local mais visitado pelos japoneses durante os primeiros dias do ano. Não é para menos. Localizado numa enorme floresta com mais de 100 mil árvores plantadas especialmente para a construção do santuário, o Meiji Jingu é uma verdadeira escapada para quem vive na selva de pedra que é a capital japonesa.

No entanto, não se engane, apesar do amplo espaço, é possível sentir a “presença” dos mais de 3 milhões de visitantes que o santuário recebe somente para o hatsumōde. Tenha paciência e aprecie a beleza do bosque que compõe o sandō, os belos portais feitos com cedros trazidos diretamente de Taiwan, os barris de saquê e vinho colocados em homenagem ao imperador e o espaço totalmente restaurado do templo que faz 100 anos em 2020.

Ah, o Meiji Jingu também é dedicado à imperatriz Shoken, esposa do imperador Meiji. Por isso, o santuário é um dos preferidos entre os casais de Tóquio. No pátio interno fica um dos símbolos mais marcantes do Meiji Jingu, o Meoto Kusu, dois pés de cânfora conectados por um shimenawa, uma grossa corda de cânhamo. As árvores representam um casal e sua conexão primordial. Este é o espaço predileto de oração para quem está procurando um relacionamento ou quer orar em prol do que já tem.

Tokyo-to Shibuya-ku Yoyogi Kamizono-cho 1-1
Estações mais próximas: Harajuku (JR linha Yamanote)
Meiji-jingumae (Tokyo Metro linhas Chiyoda e Fukutoshin)

_ _ _ _ _ _

Fushimi Inari Taisha 伏見稲荷大社

Um dos pontos mais visitados pelos turistas em Quioto, o Fushimi Inari Taisha é o principal santuário xintoísta no Japão dedicado a Inari, o deus do arroz e, por consequência, da fertilidade. Localizado às margens do Monte Inari, numa próspera região produtora de arroz e saquê no passado, o santuário começou a ser reverenciado pela monarquia japonesa no século 10, quando o imperador Murakami decretou que as mensagens enviadas para os deuses padroeiros do Japão deveriam passar por 16 locais, dentre eles o Fushimi Inari Taisha.

Conhecido pelo forte vermelho de suas estruturas, o Fushimi Inari é o lar dos Senbon Torii, centenas de portais alaranjados enfileirados montanha acima. Oferecidos por fiéis ao longo de séculos de gratidão por bênçãos recebidas, os portais se tornaram uma das imagens mais icônicas do Japão mundo afora.

Geralmente, os visitantes se limitam à parte mais baixa do templo, logo após a fileira de portais duplos. Mas quem tiver mais fôlego pode subir a trilha que leva até o topo da colina de 233 metros de altitude. A subida em si não é difícil mas algum preparo é recomendável.

O santuário costuma figurar entre os que mais recebem visitantes durante os três primeiros dias do ano, cerca de 2,7 milhões de acordo com o portal de viagens Rakuten Travel. Fiéis em busca de sucesso no comércio e na agricultura são os que mais procuram o Fushimi Inari Taisha.

Kyoto-fu Kyoto-shi Fushimi-ku Fukakusa Yabunochicho 68
Estações mais próximas:
Inari (JR linha Nara)
Fushimi Inari (Linha Keihan)

_ _ _ _ _ _

Narita-san Shinshoji 成田山新勝寺

Fundado no ano de 940 por um discípulo do Kobo Daishi, um dos grandes difusores do budismo no Japão, o templo é dedicado à Fudō Myō-ō, um dos Cinco Reis Sábios, quase sempre representado com uma expressão forte e portando uma espada e uma corda envolta em fogo, uma clara referência à vitória na guerra.

Conta-se que o templo foi fundado justamente depois de uma batalha na qual as forças do império vindas de Heian (atual Quioto) derrotaram o poderoso samurai local Taira no Masakado. Kancho, um monge da escola budista Shingon, acompanhou as forças do imperador carregando uma imagem de Fudō Myō-ō que teria sido esculpida por Kobo Daishi para o templo Jingoji, na então capital. No entanto, após a vitória, o grupo teria tido dificuldades para levar a imagem de volta e, por isso, ela acabou sendo deixada para trás e, para abrigá-la, o Shinjoji acabou sendo fundado.

Por toda a sua história, relacionada à guerra e à vitória, o templo acabou se tornando um dos mais procurados do Japão para o hatsumōde. Não é para menos. Quem nunca passou por um perrengue monstro e deu a volta por cima?

Chiba-ken Narita-shi Narita 1-1
Estações mais próximas:
Narita (JR linha Narita)
Keisei-narita (linha Keisei

_ _ _ _ _ _

Atsuta Jingu – 熱田神宮

Com mais de 1900 anos de história, o Atsuta Jingu aparece no Kojiki, uma espécie de livro de crônicas do Japão antigo, publicado pela primeira vez no século 8. A obra conta que o santuário foi construído para abrigar a Kusanagi no Tsurugi, uma espada mítica, considerada uma das três Jóias da Coroa Japonesa.

Segundo a lenda, foi com ela que o deus Susanoo decepou as oito cabeças do temido monstro Yamata-no-Orochi e acabou se casando com Kushinada, a única filha sobrevivente de um casal que vivia nos vales da atual província de Shimane. Atsuta-no-Ookami, a divindade principal do Atsuta Jingu, é considerada, então, uma manifestação de Amaterasu-Oomikami, através da Sagrada Espada. Amaterasu é a deusa do sol e do universo.

O santuário também é conhecido por ter recebido o apoio de grandes nomes da História japonesa como Toyotomi Hideyoshi, Tokugawa Ieyasu e Oda Nobunaga. Doado por este último em 1560, o Nobunaga-tei é um paredão de cerca de 7,5 de altura acessível ao público.

Cerca de 2,3 milhões de fiéis visitam o Atsuta Jingu durante o três primeiros dias do ano para o hatsumōde. São pessoas pedindo, principalmente, pelo bem-estar da família e por prosperidade nos negócios.

Aichi-ken Nagoya-shi Atsuta-ku Jingu 1-1-1
Estação mais próxima:
Jingu-mae (Meitetsu linhas Nagoya Main e Tokoname)

_ _ _ _ _ _

Sensoji – 浅草寺

Um dos templos mais populares de Tóquio, o Sensoji tem uma história de quase 1400 anos. Diz a lenda que, no ano de 628, dois irmãos pescadores fisgaram uma estátua de Kannon, a deusa da misericórdia, no vizinho Rio Sumida. Os rapazes colocaram a imagem de volta na água mas ela voltava repetidas vezes às mãos deles que, por fim, a recolheram e levaram a um dos principais mercadores da região. Então, para abrigar a imagem, foi construído no ano de 645 o templo que é considerado o mais antigo da capital japonesa.

Na entrada principal, o visitante é recebido pelo majestoso Kaminarimon, o Portal do Trovão, um das mais icônicas imagens de Tóquio. Seguindo na direção do templo fica a Nakamise, uma rua de comércio com séculos de história, hoje dedicada à venda de lembrancinhas. O templo ainda é conhecido pela bela pagoda de cinco andares, uma referência na construção da moderníssima Tokyo Sky Tree, que fica a poucos quilômetros de distância e é a maior torre de transmissão do planeta com 634 metros de altura.

Um dos mais visitados templos do país, o Sensoji costuma receber cerca de 2,8 milhões de visitantes somente nos três primeiros dias do ano. Gente de todo o país visita o local para rezar em prol do sucesso nas vendas e nos estudos e do bem-estar da família.

Tokyo-to Taito-ku Asakusa 2-3-1
Estação mais próxima:
Asakusa (Tokyo Metro linha Ginza, Toei Metro linha Asakusa, Tobu linha Skytree, Tsukuba Express)